Proposta que possibilitava o parcelamento de multas de trânsito registradas durante a pandemia da Covid-19 foi rejeitada na Câmara Municipal de Curitiba, em sessão plenária realizada nesta segunda-feira (3).

Por 24 votos contrários, 10 favoráveis e 2 abstenções foi vetada e agora só poderá ser novamente apresentado neste ano, caso haja decisão da maioria absoluta da Câmara.
Atualmente o parcelamento de multas de trânsito pode ser feito apenas via cartão de crédito, com a proposta sugerindo o pagamento via guias de recolhimento e outros modelos para dar mais opções ao contribuinte.

A discussão dessa proposta durou mais de duas horas na Câmara Municipal de Curitiba, opondo vereadores favoráveis e contrários ao projeto de parcelamento das multas de trânsito.

Já o vereador e líder do prefeito na Câmara, Pier Petruzziello (PTB) justificou o voto contrário a proposta. “Humanista é você não levar multa de trânsito, seja isso na pandemia ou não. Nós estamos beneficiando sim infrator de trânsito. Estamos dando um sinal, incentivando as pessoas a cometerem infrações de trânsito. O IPTU, por exemplo, não é uma infração”.

O vereador Denian Couto publicou uma nota em sua rede social:

“A Câmara de Curitiba rejeitou hoje o projeto de minha autoria que previa a possibilidade de parcelamento das multas de trânsito durante a pandemia. Com isso, segue vigente a absurda desigualdade existente entre “os dois tipos de cidadãos” curitibanos: os quem têm cartão de crédito e podem pagar parcelado e os que não têm. Para estes, justamente os mais atingidos financeiramente, a ordem é pagar à vista. E sem reclamar.No debate, cheguei a abrir mão da possibilidade de oferecer desconto a quem quitar as multas à vista, exatamente como já ocorre hoje de acordo com a Lei. Não adiantou. A Câmara, por 24 votos a 10, com duas abstenções, se mostrou – de novo – completamente divorciada do interesse público. Profundamente lamentável. De minha parte saio de cabeça erguida. E faria tudo de novo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *