O aumento do número de casos na capital do Estado e na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) pode forçar o governo do Estado a decretar bandeira vermelha para as cidades que a compõe, com a finalidade de tentar desafogar o sistema de saúde, perto de um colapso, pela falta de leitos em enfermarias e em UTIs, hoje a fila de espera no Paraná é de aproximadamente 1,2 mil.

A secretária Marcia Huçulak mostrou um “power pont” onde a RMC aparece como culpada pela lotação dos hospitais de Curitiba, mas ela se calou sobre os milhões que a cidade recebe do SUS por atender os pacientes desses lugares.

Também justificou o motivo para proibir a entrega de comida depois das 21h: o elevado número de acidentes com motoqueiros entregadores que ocupam leitos em enfermarias e utis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *