Em ofício aos secretários de saúde e prefeitos, as entidades lembra das exceções para o concurso da Polícia Federal e do Dia das Mães

O Dia dos Namorados é uma das datas mais representativas datas para o comércio, bem como para bares, restaurantes e casas noturnas. Pensando nisso, entidades de turismo, gastronomia e entretenimento querem garantir o direito de trabalhar pelo menos até 24h no próximo sábado (12), em harmonia com medidas restritivas de enfrentamento a pandemia do novo Coronavírus (covid-19).

Nesta terça-feira (08), as entidades encaminharam ofício ao secretário estadual de Saúde, Beto Preto, aos secretários municipais de saúde e aos prefeitos de Curitiba e das cidades pólo do Paraná. Na manifestação, lembra que em 23 de maio o Supremo Tribunal Federal (STF) abriu exceção nas principais cidades do país, permitindo a realização de concurso da Polícia Federal (PF).

Em Curitiba, a Prefeitura editou o decreto 790, que também abriu exceção para o comércio funcionar normalmente no Dia das Mães. “Sabemos que o momento da pandemia é delicado, temos ai uma crescente em várias regiões do estado, as UTIs estão com 90% de ocupação”, reconhece Fábio Aguayo, presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar).

No entanto, lembra Aguayo, o setor de gastronomia e entretenimento tem sofrido muito com as medidas restritivas. Em Curitiba, segundo ofício encaminhado a secretária de Saúde, Márcia Uçulak, a segregação do setor se tornou um “claro ato discriminatório” e de “perseguição política”, uma vez que representantes não foram convocados para participar e ouvir as possíveis decisões que seriam tomadas.

Movimentação financeira

Em datas especiais, como o Dia dos Namorados, é fundamental manter a abertura, pois ajudam no orçamento das empresas, a movimentar o comércio, setor de flores e outras várias atividades econômicas. “Gostaríamos que no sábado tivesse mais uma exceção, de podermos funcionar pelo menos até às 24h nas principais cidades”, afirma Gustavo Grassi, presidente do SindiAbrabar.

O apelo, de acordo com Grassi, será enviado também aos secretários municipais de Saúde e da Fazenda, “para que a gente possa pelo menos conciliar esse momento”. Como já teve a experiência do Dia das Mães, o presidente da Abrabar acredita que não seria nada de mais reivindicar esse momento.

“Para que muitas pessoas, não só as que estão apaixonadas (namorados), mas também os comerciantes do nosso setor de gastronomia, que precisam desse momento para pagar a folha de pagamento de maio, que não foi paga ainda”, completou. As prefeituras devem anunciar até quinta-feira (10) como serão as restrições para o comércio no próximo final de semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *