Já não é de hoje que a emissora de TV Rede Globo colocou toda sua equipe de jornalismo para fazer a velha tática política do “quanto pior, melhor”.

O Consórcio de veículos de imprensa, como os jornais O Estado de São Paulo, O Globo ou revistas como a Veja, ou tevês como a Globo ou Globo News, além de reproduzirem a teoria do ‘quanto pior, melhor’, endossam uma crítica desproporcional ao governo e esquecem de fazer o jornalismo de verdade, que poderia ser executado dissecando o assunto do vírus ter vindo de terras chinesas, devastando vidas pelo mundo sem se quer tocar no assunto principal, vidas são ceifadas por conta da precariedade da saúde pública cultivada há décadas em governos anteriores.

Esses veículos fazem isso inclusive em editoriais e em opiniões manifestadas por ‘analistas políticos da esquerda’ outra hora parceiros petistas remunerados nos bastidores através de patrocínios cortados desde o início do atual governo. Outros veículos, tais como a Folha de São Paulo, repercutem sistematicamente a teoria do “quanto pior, melhor”, com nítido propósito de desinformar para alcançar o objetivo em 2022 de aniquilar a chance de reeleição do atual governo, mas evitam de qualquer maneira atualizar a quantidade de vidas salvas, evitam informar sobre alternativas de tratamento da doença gerada pelo vírus chinês, tratamentos estes que estão sendo testados mundo a fora, alguns com resultados positivos comprovados como é o caso do uso do medicamento Ivermectina que pode ser acompanhado em tempo real como mostramos nesta reportagem:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *