Ratinho Jr fez o anúncio na manhã desta sexta-feira (26) durante o pronunciamento do decreto oficial. O Estado do Paraná decretou um lockdown de dez dias como medida de enfrentamento ao aumento de casos da covid-19. As novas medidas valem a partir da madrugada de sábado (zero hora) até o dia 8 de março de 2021.

O lockdown suspende o funcionamento dos serviços e atividades não essenciais no Estado. Além disso, está proibida a circulação de pessoas em espaços e vias públicas, das 20 horas até as 5 horas. O decreto anterior proibida a circulação da meia-noite às 5 horas. Antes disso, outra medida restringia a movimentação a partir das 23 horas.

O decreto também atinge aos alunos, com a suspensão das aulas presenciais em escolas estaduais públicas e privadas, cursos técnicos e universidades públicas e privadas.

As atividades religiosas estão proibidas, apenas atendimento individual e culto online. O decreto afirma que os servidores trabalharão em regime teletrabalho, por meio remoto, em todos os órgãos do Estado.

No ramo de alimentação, estão permitidos os sistemas delivery, drive-thru e take away. Apenas os comércios essenciais poderão funcionar – supermercados, açougues, farmácias, panificadoras, mercearias, postos de combustíveis, segundo o decreto.

Continua após a propaganda

Decisões
Até semana que vem, a Secretaria de Saúde confirmou que abrirá mais 99 leitos de UTI e 153 de enfermaria para enfrentamento no momento da pandemia. Ainda hoje, o governador destacou no encontro com prefeitos que as curvas de infectados e de hospitalizações cresceram muito nos últimos dias, aquém da trajetória da pandemia em 2020. Ele disse que as medidas ajudarão a controlar a contaminação e servirão para ajudar a população, e lembrou que o Estado pode estar sendo impactado pela circulação de novas cepas.

“Serão dias turbulentos, mas as medidas servirão para salvar vidas. Não podemos ter um colapso na saúde. Vamos vencer mais esse momento”, afirmou Ratinho Junior. “Além disso, há muitos jovens sendo internados, o que antes não ocorria. É um cenário gravíssimo porque houve um aumento de 900% na fila de pessoas precisando de leitos hospitalares”.

Apoio
O novo decreto anunciado nesta sexta-feira (26) requer apoio dos prefeitos. “Serão dias de esforço pela frente para que possamos atender as pessoas dentro do nosso quadro de leitos hospitalares”, disse o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *