Entidade representante do setor de gastronomia e entretenimento reagiu à fala do chefe do Executivo paranaense.

O governador Ratinho Junior informou, nesta quarta-feira (26), que as forças de segurança vão intensificar as fiscalizações contra as festas clandestinas pelo Estado. Estes eventos, na maioria dos casos, são realizados em locais afastados, galpões e pequenos, fechados, insalúbres e sem qualquer protocolo para segurança sanitária e produtos sem procedência ou falsificados para consumo dos participantes.

“Gostaríamos de fazer um esclarecimento a toda população, especialmente ao nosso governador Ratinho Junior, grande amigo da nossa categoria. Nós estamos fechados a 14 meses, estabelecimento com CNPJ não estão promovendo baladas, nem festas, pelo contrário, estão seguindo à risca essas determinações”, disse Fábio Aguayo, presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar).

Continua após a propaganda

O líder classista reconhece que existem pessoas da categoria que estão promovendo eventos clandestinos. “Também pessoas que não são do nosso meio que também estão promovendo festas em chácaras, nas regiões metropolitanas, isso é uma febre o movimento que está ocorrendo no Paraná, ocorre no Brasil, em todo mundo e nós precisamos combater”, frisou.

A Abrabar lembra que há mais de um ano vem denunciando este tipo de atitude. “Nós estamos preocupados porque pode ocorrer de novo uma nova Boate Kiss, porque esses lugares não tem segurança, não tem prevenção, não tem toda cautela que o estabelecimento, tem que seguir à risca as orientações do governo”, ressaltou ele lembrando das 242 pessoas que morreram em janeiro de 2014 na boate em Santa Maria (RS), pois não havia saída de emergência no local.

Ônibus lotados
“Mas nós temos também que ter a mão do Estado no transporte público. Não pode jogar a responsabilidade só no nosso setor”, disse Aguayo, ao lembrar que as aglomerações ocorrem a todo momento nos ônibus. “O transporte publico não está sendo feito nada, está lotado, não tem a restrição”.

“Então, senhor governador, conte com nossa categoria para combater essas festas clandestinas, as aglomerações, porque os nossos empresários são sérios, não estão promovendo essas aglomerações, algumas pessoas que são fora do nosso meio podem até estar promovendo, mas temos que combatê-los”, concluiu.

Eventos testes
Recentemente a Abrabar e outras entidades ligadas ao turismo e hospedagem defenderam a realização de testes de eventos festivos, só com pessoas vacinadas. “Com festas neste formato, para ter um monitoramento, incentivar a legalidade e combater a clandestinidade”, frisou Aguayo.

A manifestação veio após a realização, pela Prefeitura de Pato Branco, de um baile com presença controlada de público e distanciamento social entre mesas e participantes. O governo de São Paulo anunciou, em junho e julho, 10 eventos testes.

“Infelizmente, enquanto não liberar ou houver um protocolo de eventos controlados e monitorados, a tendência é só de aumentar o número de festas e baladas clandestinas”, concluiu Aguayo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *