A informação sobre os resultados positivos da vacinação foi passada pela diretora de Vigilância em Saúde da Prefeitura de Piraquara, Fernanda Sabatin Machado.

A cidade de Piraquara, região metropolitana de Curitiba, não teve nenhum caso grave em profissional de saúde após a janela de imunização de 20 dias, que acontece depois do recebimento da segunda dose da vacina contra a covid-19. Além disso, no momento não há nenhum paciente acima de 90 anos internado em estado grave e esperando por um leito, também como resultado da imunização.

Fernanda Sabatin ainda comemorou que não há nenhum idoso de 90 anos internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. “Hoje na minha UPA não tenho idosos de 90 anos esperando por internamento. A maioria é de pessoas de 60 a 70 anos. Surtos nas instituições de longa permanência também não tivemos mais e isso era uma coisa recorrente. A gente percebe uma grande melhora com a vacinação”, comemorou.

A diretora ainda lembrou que casos graves e mortes com pacientes vacinados podem acontecer, mas que serão poucos com o avanço da imunização. “Pode acontecer, nenhuma vacinação é 100% eficaz, só que a maioria vai ter um bom resultado e é esse o objetivo da vacina, que é criar a imunidade coletiva. Vacinas da gripe e sarampo mostram que 5% podem não criar, mas quantos mais vacinarem, estes 5% não vão ter risco de contrair a doença”, disse.

Fernanda Sabatin ainda comemorou que não há nenhum idoso de 90 anos internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. “Hoje na minha UPA não tenho idosos de 90 anos esperando por internamento. A maioria é de pessoas de 60 a 70 anos. Surtos nas instituições de longa permanência também não tivemos mais e isso era uma coisa recorrente. A gente percebe uma grande melhora com a vacinação”, comemorou.

Continua após a propaganda

Queda de casos

Como outras cidades da região metropolitana, Piraquara viveu dias de sufocamento no sistema de saúde, que agora começa a ter uma queda na procura por atendimento. “Até porque no lockdown a população também acaba ficando mais atenta. A preocupação aumenta e as pessoas começam a se preocupar mais, até mesmo dentro de casa. Os pequenos eventos que acontecem, porque as pessoas relaxam, acabam não acontecendo mais”, pontuou.

UPA ‘salvadora’

Há dois anos a cidade de Piraquara não tinha uma UPA, que foi inaugurada na gestão do prefeito Marcus Tesseroli (Professor Marquinhos), que lutou muito para que a unidade de emergência fosse instalada, ao lado do atual prefeito Professor Josimar, que era vice à época. “Abrimos a UPA no fim do ano retrasado e sempre pensamos: e se não tivéssemos ela com essa pandemia? Foi um acerto muito grande”, afirmou a diretora de Vigilância em Saúde.

Além da UPA, Piraquara tem onze unidades de saúde que recebem pacientes com covid-19 no formato Y. “São onze unidades abertas e todas atendem covid, com entrada em Y. Os pacientes com sintomas respiratórios entram por um lado e outros por outro lado. A UPA 24 horas atende todos os dias casos respiratórios e gerais”, concluiu Fernanda Sabatin.

Por: Jornal Metropolitano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *