O DATASUS (sistema de dados do Ministério da Saúde) apresenta os números de mortalidade por conforme a Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID-10). O número 10 refere-se à décima edição.

A tabela 01 apresenta os números de mortos por doenças diversas durante o ano de 2019, antes da pandemia do c obtidos no DATASUS.

É sabido que o COVID-19 ataca diversos órgãos.

Veja neste link uma matéria publicada no jornal alemão DW (Deutsche Welle). https://www.dw.com/pt-br/como-o-novo-coronav%C3%ADrus-ataca-todo-o-organismo/a-53418039

“Os pulmões são o principal alvo da covid-19, mas a doença não afeta apenas o sistema respiratório.  Coração, rins, nervos, cérebro e até a pele são atacados pelo patógeno, com danos potencialmente duradouros”

Desta forma, se somarmos apenas as doenças dos aparelhos respiratórios e circulatórios, temos 162.05 + 364.132 = 526.137 (quinhentos e vinte e seis mil e cento e trinta e sete) óbitos.

Considere uma pessoa com sérios problemas de saúde, síndrome metabólica (pressão alta, diabetes, obesidade etc…). Se esta pessoa contrair o coronavírus, em casa, no trabalho, na rua ou no hospital, vai ter seu estado de saúde mais agravado ainda e poderá vir ao óbito depois de um período.

No momento de se atestar a causa do óbito, o médico terá que optar por covid-19 ou uma outra doença mais evidente do CID-10. É provável que o médico opte por covid-19.

Então se pergunta: este paciente viria ao óbito ao longo do ano por algum outro incidente, como uma gripe, pneumonia, AVC ou infarto? É difícil responder. O que se pode inferir é que morreu de covid por ter comorbidades.

Então, ele vai para estatística de covid e deixa de aparecer nas estatísticas de outras doenças do CID-10.

Não se trata de uma capciosidade para inflar as estatísticas do covid. É uma questão de dinâmica natural do processo de classificação, agora, com uma doença nova muito abrangente que acomete diversos sistemas do organismo.

Portanto, é precipitado atribuir o número de mortes computado ao covid por uma falha no combate a pandemia em relação a outros países. Não se tem ainda uma base de dados confiável e abrangente para se dizer qual é o impacto da pandemia no número total de mortes em cada país, até mesmo porque os dados referentes a 2020 do DATASUS estão ainda sendo auditados.

O gráfico da figura 01 exibe a evolução histórica no Brasil da mortalidade por doenças classificadas no CID-10.

Wilson Picler, Mestre em Engenharia Biomédica, realizou este levantamento. 
Fonte: c(http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sim/cnv/obt10uf.def)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *