Um grupo de moradores e empreendedores começou a semana inovando nos protestos contra as medidas restritivas e seletivas da Prefeitura de Curitiba. Logo pela manhã eles se concentraram em frente a empresa Glória, que atua no transporte público de passageiros na capital.

A empresa em questão, é uma das beneficiadas com subsídios de aproximadamente R$ 300 milhões de recursos dos contribuintes, enquanto outras atividades estão implorando por recursos e apoio/Auxílio Financeiro, inclusive por isenção de IPTU ou outras Taxas e Tributos Municipais.

Os nobres cidadãos também foram protestar contra a falta de bom senso em Curitiba. De acordo com eles, nos ônibus pode aglomeração e sem respeitar o distanciamento dos 9 metros qudrado por pessoa, como determinado aos demais segmentos comerciais, e se quer são notificados ou autuados.

“Enquanto isso, nas demais atividades econômicas nada disso é permitido/contemplado e ainda levam multas e a interdição ou fechamento!”, lembram os empreendedores. “Mais um caso explícito de dois pesos e duas medidas da Prefeitura da capital”, ressaltam.

Desde o início da pandemia, a Prefeitura tem baixado decretos que penalizam as denominadas “atividades não essenciais”, que tem sofrido com as duras penalizações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *