Queiroga foi anunciado por Bolsonaro para ocupar o lugar de Eduardo Pazuello

novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou à CNN Brasil que lockdowns são utilizados em situações extremas, mas que não podem ser “política de governo”. Quarto ministro da pasta no governo Bolsonaro, o cardiologista afirmou ainda que, embora não haja um tratamento contra a Covid-19, os “médicos têm autonomia para prescrever”.

Queiroga foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), nesta segunda-feira (15), para ocupar o lugar de Eduardo Pazuello, que sai da pasta em meio a inquérito para apurar se houve omissão do ministro quanto à crise sanitária de Manaus.

À Folha de S.Paulo, no último domingo (14), o novo ministro afirmou que a cloroquina não seria parte de sua estratégia de enfrentamento da pandemia -como foi com Pazuello-, caso fosse ministro. A droga faz parte do que o governo Bolsonaro diz constituir tratamento precoce contra a Covid -algo que, segundo cientistas, não existe.

2 Comments

  • Sil, 16/03/2021 @ 15:43 Reply

    Acho q a folha de São Paulo d3veria se ater as notícias e deixar de ficar dando opiniões desnecessárias

  • Sergio Luiz Martins da Rocha, 16/03/2021 @ 15:54 Reply

    Queira Deus que o tratamento precoce e preventivo seja aplicado em todo o Brasil, imediatamente e juntamente com a vacinação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *