O novo ministro da Defesa, general Walter Souza Braga Netto, divulgou nesta quarta-feira (31) o nome dos três comandantes que vão chefiar a Marinha, a Aeronáutica e o Exército.

São eles: general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira (Exército), almirante de esquadra Almir Garnier Santos (Marinha) e o tenente-brigadeiro do ar Carlos de Almeida Baptista Jr. (Aeronáutica).

Em seu pronunciamento, Braga Netto falou em “dia histórico” e sobre papel das Forças Armadas no passado. O anúncio dos novos comandantes ocorreu no mesmo dia em que os militares tomaram o poder através de um golpe de Estado em 1964.

“Os militares não faltaram no passado e não faltarão sempre que o país precisar. A Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira se mantêm fiéis às suas missões constitucionais de defender a pátria, garantir os poderes constitucionais e as liberdades democráticas. Neste dia histórico, reforço que o maior patrimônio de uma nação é a garantia da democracia e a liberdade do seu povo”, afirmou o ministro.

Nesta terça-feira (30), a pasta comunicou que os comandantes da Marinha, Exército e Aeronáutica seriam substituídos.

O anúncio dos nomes dos novos comandantes ocorreu dois dias depois que o ex-ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, deixou o cargo. O presidente Jair Bolsonaro escolheu como substituto o general da reserva Walter Souza Braga Netto, que até então comandava a Casa Civil.

Esta foi a primeira vez, pelo menos desde 1985, que os comandantes das três Forças deixam o cargo ao mesmo tempo sem ser em período de troca de governo.

1 Comentar

  • Edivaldo Godoi, 31/03/2021 @ 20:31 Reply

    Em 31 de março de 1964 os militares não tomaram o poder o presidente em exercicio tentou um golpe anti democrático e fugiu para o RS, com o propósito, caso não tivesse êxito, fugir para o Uruguai. O resto é conversa fiada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *