O governador Ratinho Junior faz malabarismos para tentar contornar a rebeldia dos oficiais da Polícia Militar com o secretário da Segurança Pública, o coronel Rômulo Marinho, do Exército. O porta-voz da tropa é o deputado estadual Coronel Lee (PSL), que dia sim e no outro também desce o porrete nos atos da pasta. A rusga não é de hoje. Muita gente de alto coturno, da ativa e da reserva, reclama que a Polícia Militar foi escanteada na gestão da segurança desde o início do governo. Além disso, não se conformam como as escolhas feitas pelo governador para postos chaves, sustentando que tiveram como único critério a amizade do grupo político com os militares  – e não o histórico da carreira.

por: blog do Zé Brito

1 Comentar

  • Sandro de Castro, 25/05/2021 @ 15:30 Reply

    Ué essa história de militares que vão servir o executivo sempre foi ligado a amizades e relações do militar promovido… Não esqueça da Cel Odileia promovida a comandante geral da PM por ter trabalhado para a então governadora em exercício a época em Londrina… Outros já tem padrinhos na Alep, enfim no oficialato todo oficial sabe das relações que precisa ser reforçada com os anos de PM, isso não só garante cargos no executivo, mas também ajuda a abreviar muitas promoções

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *