O ministro da Defesa, Walter Braga Netto, e os três chefes das Forças Armadas, segundo o jornal O Estado de S. Paulo, teriam dito ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), que não haverá eleição em 2022 sem a implementação do voto impresso auditável.

“A quem interessar, diga que, se não tiver eleição auditável, não terá eleição”, teria enfatizado o general a Lira no último dia 8 de julho.

Horas depois, de acordo com a matéria, o presidente Jair Bolsonaro repetiu publicamente o teor do diálogo em conversa com apoiadores no Palácio do Alvorada.

“Ou fazemos eleições limpas no Brasil ou não temos eleições”, disse Bolsonaro no início do mês.

Diante do ocorrido, Lira teria marcado um encontro político com aliados políticos e, além disso, notificado os membros do alto escalão do Judiciário, segundo apurou o Estadão.

Na ocasião, o presidente da Câmara explicou o que, na visão dele, houve ‘tensão’ e confidenciou que as declarações eram ‘gravíssimas’.

Na sequência, o Estadão disse que Lira também se reuniu com o Bolsonaro, com quem teve uma extensa conversa após a fala do general.

O mandatário, por sua vez, garantiu que atuaria ‘dentro das quatro linhas da Constituição’.

O que diz Lira

Arthur Lira afirmou ao blog Ana Flor, do G1, que irá divulgar uma nota sobre o tema. Ele nega a informação trazida pelo jornal.

O que diz Braga Netto

Braga Netto foi indagado por jornalistas sobre a matéria. Ele disse que o conteúdo não passa de ‘invenção’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *