A partir de segunda-feira (15), deverá ser comum, a quem for aos supermercados de Curitiba, ver algumas prateleiras de produtos isoladas por faixas, lonas e avisos, sem que o cliente possa colocar aqueles produtos em suas cestas de compras. Isto porque o decreto da bandeira vermelha (lockdown), determinado pelo prefeito Rafael Greca, na sexta-feira (12), determina que os mercados só podem vender produtos essenciais (alimentos, bebidas, higiene e limpeza). Tudo o que não for essencial, deve ser isolado do público.

Aliás, não são somente supermercados que deverão entrar nesta regra. Outros estabelecimentos também terão que realizar o isolamento. São eles: restaurantes e lanchonetes; panificadoras, padarias e confeitarias de rua; comércio varejista de hortifrutigranjeiros, quitandas, mercearias, distribuidoras de bebidas, peixarias e açougues; mercados, supermercados e hipermercados; e comércio de produtos e alimentos para animais.

2 Comentars

  • Manoel Luiz Zanini, 15/03/2021 @ 10:05 Reply

    Para mim isto é “UMA VERGONHA” Onde já se viu uma decisão dessas? É imoral, dizer o que um cidadão de uma nação democrática, deve fazer fazer contra sua vontade. Quem este inergúmeno, pensa que é, pra dizer o que eu tenho que comprar para a minha comodidade? Dá licença estrupicio.

    • Emerson Soares, 17/03/2021 @ 13:06 Reply

      Eu tenho o direito de ir e vir conforme A constituição de 1988. Se os prefeitos tivessem tomado iniciativa em dezembro fechando as orais do litoral talvez não tivesse aumentado a contaminação. E não é o prefeito que vai decidir o que eu tenho que comprar para minha casa.
      Ele deveria colocar mais ônibus nada linhas de Curitiba para evitar aglomeração.
      Já que os prefeitos se acham os sabe,peçam para fechar os Pedágios,ou liberar as Catracas,com certeza iriam ajudar muito mais de quem precisa utilizar os Pedágios,iriam contribuir com os caminhoneiros com certeza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *