Segundo a secretária de Saúde, a vacinação de pessoas com comorbidades acontecerá também por faixa etária.

A cidade de Piraquara, região metropolitana de Curitiba, está perto de começar a vacinar pacientes abaixo de 60 anos, com comorbidades, contra a covid-19. No sábado, 1,2 mil idosos com 60 e 61 anos receberam a primeira dose da Astrazeneca, ainda faltando cerca de três mil nesta faixa etária. Com esse grupo concluído, o município já passará a imunizar os mais jovens, indo depois para os professores. Com uma eficiência no plano de vacinação, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade viu cair pela metade a procura por pacientes com problemas respiratórios e há nove dias ninguém foi entubado devido ao coronavírus na UPA.

“Nossa UPA antes tinha uma demanda de 80% de casos com sintomas respiratórios. Após a vacinação de idosos e profissionais de saúde, hoje 40% são de casos sintomáticos respiratórios. Estamos, ainda, há nove dias sem pacientes entubados com a covid. A gente já chegou a ter dez pacientes entubados na UPA. São números que nos dão esperança”, afirmou a secretária municipal de Saúde de Piraquara, Glaucia Buss Guimarães, em entrevista na manhã desta segunda-feira (26).

A secretária explicou ainda como se dará a comprovação das comorbidades. “Temos no site da prefeitura todos os documentos comprobatórios para a vacinação deste grupo. O diabético precisa da receita atualizada de remédios e comprovante de residência. Na hipertensão, a pessoa tem que estar tomando três medicamentos, para ser considerado dentro do grupo de risco, segundo o MS . Já as demais doenças específicas você vai precisar de um laudo médico. A lista está no site da prefeitura“, contou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *