O vereador Renato Freitas (PT) andou criticando durante uma sessão plenária as Igrejas Evangélicas e ainda começa uma partida de xadrez para tentar calar a língua felina dele, envolvendo Ezequias Barros (PMB), Sargento Tânia Guerreiro (PSL), Osias Moraes (REP) e Pastor Marciano (REP).

O quarteto entrou com uma representação contra ele e a corregedora da Câmara Municipal de Curitiba, Amália Tortato (Novo), enviou para a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar o pedido de censura pública ao petista, que começa a ser analisado na segunda-feira.

A proposta só pode ser uma brincadeira de amarelinha de Amália, se a denúncia é grave como os representantes do setor pregam, deveria ser pedido a cassação do mandato, não montar um circo para segurar a tagarelice do parlamentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *