Bom dia. Vou abrir espaço na coluna de hoje para um artigo bastante pertinente do presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Camilo Turmina, retratando o lockdown (fechamento total) e seus efeitos sobre todos os segmentos econômicos de Curitiba e Estado do Paraná. Convido todos para esta leitura abaixo:

“CONTRA A ARBITRARIEDADE DO LOCKDWN

A Associação Comercial do Paraná encarece às autoridades que não voltem a punir o comércio de Curitiba. Temos ciência de que o poder público deve responder a eventual crescimento de casos de covid-19, mas que o faça com ações mais assertivas e não com o fechamento do comércio, uma medida inócua que vem se repetindo desde o início da pandemia.

O segmento comercial e de serviços não suporta mais a pesada carga por conta dos seguidos e infrutíferos abre e fecha. A cada declaração da secretária de saúde Márcia Huçulak anunciando a iminência de medidas mais restritivas instala-se o pânico entre os empresários, cada vez mais inseguros sobre a sobrevivência de seus negócios.

Que se combata as festas e aglomerações e que se proíba de vez os ônibus lotados. Mas que se deixe o varejo e a vida fluir dentro do possível sem a adoção dos lockdowns causadores da falência de um número incontável de negócios e a consequente perda de milhares de vaga de trabalho.

Reafirmamos nossa posição contra a arbitrariedade do lockdwn.

Como entidade representativa de milhares de negócios, temos procurado dar nossa cota de contribuição para superarmos os desafios que a pandemia nos impôs.

Para reduzir a circulação de pessoas e aumentar o distanciamento social já propusemos rodízio de atividades e escalonamento de horário. Mas os gestores municipais não nos deram ouvidos.

Já estamos patrocinando um projeto piloto nos ônibus da região metropolitana com um sistema que alerta para a lotação dos veículos. Oferecemos o mesmo sistema para a Urbs.

Em algumas semanas lançaremos uma parceria inédita com o Waze Carpool para que trabalhadores tenham a opção de evitar os riscos de contaminação no transporte coletivo lotado. Também vamos viabilizar às empresas associadas e seus colaboradores ônibus fretados seguros e sem aglomeração a R$ 5 cada viagem.

A ACP está fazendo sua parte com responsabilidade e continuará neste rumo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *