Quebra quebra provocado pelo abre e fecha da Covid-19 leva micro, pequenos e médios empresários ao desespero.

Dezenas de empreendimentos amanheceram com mensagens de protesto.

Comerciantes do bairro Tatuquara, em Curitiba, colocaram faixas de luto em frente aos estabelecimentos, que estão fechados devido à bandeira vermelha para conter o avanço da covid-19. Na manhã desta terça-feira, 30, dezenas de empreendimentos amanheceram com mensagens de protesto, por estarem impedidos de trabalhar há cerca de três semanas. O lockdown na capital foi decidido pelo colapso no sistema de saúde na e, de acordo com cientistas, já tem trazido bons resultados Apesar dos benefícios do lockdown, os comerciantes reclamam que não recebem o devido apoio dos governantes. “Já teve cortes de funcionário e dei férias pra alguns. O impacto foi total, redução de ganho e falta de apoio neste período fechados.

O comerciante sério controla todas as pessoas que entram no estabelecimento, não há contato nenhum”, disse Liziane Buch, dona da OAK Imóveis, que estava fechada devido ao decreto restritivo. Em entrevista ontem à RPC Curitiba, o prefeito Rafael Greca afirmou que os comércios devem reabrir depois da Páscoa na capital. Celia Regina Camilo, dona da Quico Eletrônica, disse que ainda assim a situação é desesperadora. “Meus vizinhos estão todos fechados. Nós estamos invisíveis para os governantes. Tenho amigos que estão depressivos, em casa, na cama, e a mulher lutando. As contas não param, tenho amigas que estão com conta de luz e água atrasadas. Dá onde Curitiba é o melhor lugar pra se viver? “, questionou. Já a comerciante Raquel Buch, dona do Bazar Avenida, contou que já fechou três lojas. “Hoje eu só estou com uma. Eu tinha 14 funcionárias e hoje só uma. Meu aluguel está atrasado, boletos também. Por que os ônibus estão lotados? Por que nós os pequenos temos que pagar as contas? Quem paga as nossa contas?”, reclamou. A bandeira vermelha em Curitiba permite o funcionamento apenas dos serviços essenciais. Na sexta-feira, uma atualização do decreto deverá ser divulgada, com a expectativa da liberação dos comércios, conforme o que foi detido pelo prefeito Rafael Greca.

Por: centralsulnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *