Normativa estadual permite atuação de bares sem cozinha, já na capital, não é permitido a nova normativa

A Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) defende a isonomia e a razoabilidade na edição de decretos do Governo do Estado e dos principais municípios do Paraná. A intenção é garantir, com a redução dos indicadores da covid-19 (Coronavírus), a oportunidade ao setor de gastronomia e entretenimento retomar as atividades após 16 meses de pandemia.

“A nossa expectativa é a mais positiva possível”, diz o presidente Fábio Aguayo, sobre os anúncios de flexibilização nas normativas que afetaram as atividades do setor. “Nós ficamos nos últimos dias com bandeira vermelha, ou um meio lockdown, quer é mais seletivo, mas que manteve as atividades consideradas não essenciais fechadas”, disse.

“A gente entendeu que a maioria das atividades param, como o nosso do setor, mas muitos segmentos continuaram abertos, atendendo”, explicou o presidente da Abrabar. “E é isto que temos pregado, a isonomia e a razoabilidade”.

Aguayo ressalta que o setor entende a gravidade do momento, mas ressalta que o decreto estadual, que será editado nesta sexta-feira (11), é mais justo no combate ao covid e também para sobrevivência das atividades econômicas.

A normativa vai permitir a abertura, no Dia dos Namorados (sábado, 12), até às 23h. O decreto estadual estadual permite a atuação também dos bares sem cozinho, enquanto Curitiba não liberou ainda. “Este é o próximo passo, para podermos trabalhar em paz”, adiantou.

O ideal, segundo a Abrabar, é que todos pudessem trabalhar todos os dias da semana até às 23h, como acontece na capital e algumas cidades da região metropolitana. “O decreto estadual não teve esta razoabilidade. Sabemos que o momento exige restrições, mas precisamos ter consciência e aliar a saúde com a economia. O nosso único inimigo é o vírus”, frisou Aguayo.

Dia dos Namorados
A Abrabar está cobrando, através de ofício e em contato direto, os prefeitos das principais cidades que tenham vida noturna, a permitir a atuação do setor, principalmente nesta data. “Tivemos um exemplo da nossa capital, que deu possibilidade de trabalhar no Dia das Mães, ou seja, abriu uma exceção”.

“Também tivemos uma decisão do STF, que foi polêmica, mas que abriu também uma exceção para a realização do concurso da PF (Polícia Federal). Então, a gente percebe que pode ter exceção, pode ter uma brecha”, afirma Aguayo.

Na avaliação dele, o Dia dos Namorados é uma data tão importante que movimenta não só a gastronomia e entretenimento, mas toda a economia, toda uma cadeia produtiva que é beneficiada. “A nossa expectativa de tentar mobilizar o poder público, que tenham essa sensibilidade”.

“Os empresários ficaram tanto tempo sem trabalhar, e as vezes não tem dinheiro para pagar a folha dos empregados, pagar os impostos. Então, é uma oportunidade de trabalhar um pouquinho, da pessoa tentar compensar estes dias que ficou parado”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *